27 outubro 2008

O que ficou das eleições municipais 2008 em Patos de Minas.


Hoje, passados mais de 20 dias da eleição sinto-me mais tranquilo para falar sobre o que ficou das eleições municipais de Patos de Minas em 2008.

Para muitos patenses e paturebas a vitória de Béia Savassi foi uma grande surpresa nesta eleição, entretanto não posso concordar com estes, pelo que, farei algumas ponderações.

José Humberto Soares jamais despontou como político de destaque na cidade, sua vitória em 2000, representou uma mera transferência de votos do então senador Arlindo Porto Neto, para o candidato José Humberto.

Em 2004 ao tentar a reeleição, José Humberto foi deixado caminhar com as próprias pernas, não conseguiu, e teve uma eleição desastrosa, perdendo por uma incrível diferença de mais de 14 mil votos para Antônio do Valle.

Entretanto em 2006, o candidato que até então, estava com pouco destaque no cenário político, candidatou-se a uma vaga na Câmara Federal, obtendo quase 50 mil votos, diante deste resultado, José Humberto "subiu no salto" e tornou-se o candidato imbatível para as eleições municipais de 2008. Esse resultado entretanto mascarava a realidade, até porque os votos obtidos por José Humberto, muitos eram votos do próprio deputado estadual Elmiro Nascimento que abriu mão de qualquer parceria em 2006 com deputado federal, beneficiando muito o candidato José Humberto.

Política é uma metamorfose, portanto o que é hoje, não significa que será amanhã.

A confiança em uma vitória fácil nas eleições municipais de 2008 gerada pelos números de 2006, fez a campanha de José Humberto dar diversos passos errados. Dispensaram o apoio de Edimê Avelar, que algum tempo antes teria procurado o PMDB, não obtendo êxito em suas negociações. O Democratas de Béia Savassi entretanto ao ser procurado por Edimê a acolheu de braços abertos. Outro apoio dispensado foi o do Partido dos Trabalhadores, que ao início das especulações queriam a candidatura a vice de José Humberto. Deixados em segundo plano pela campanha 23, o PT foi também foi acolhido pela campanha de Béia Savassi.

Outro ponto que acredito tenha sido o divisor de águas foi o apoio de Antônio do Valle a candidatura José Humberto Soares. Antônio do Valle que apresenta índices enormes de rejeição em Patos de Minas, foi fundamental na derrota de José Humberto, primeiro porque a população não aceitou que ele, que a quatro atrás, teve o apoio incondicional de Béia Savassi para sua eleição a prefeito agora trai-la, apoiando o principal adversário de Béia. E segundo, porque independente de qualquer coisa, Antônio do Valle pela rejeição que têm em Patos de Minas, não seria capaz de somar votos a nenhum candidato que apoiasse.

Não poderia deixar de comentar no vice de José Humberto, Dr. Teotônio que também não conseguiu somar votos para José Humberto.

Portanto, em que pese José Humberto ter o apoio de diversos partidos, e inúmeras autoridades, estes não eram capazes de somar votos. Naquele momento a única pessoa capaz de garantir a vitória do PPS era Arlindo Porto Neto, entretanto ele acreditando que José Humberto conseguiria se eleger sozinho não assumiu a posição que seria necessária para a vitória de José Humberto.

Passadas as eleições é hora de comentar os que cresceram e os que regrediram com os resultados.

Começando por José Humberto, este sai extremamente enfraquecido desta eleição, pois o resultado inviabiliza a confiança de seus próprios companheiros para as próximas eleições, creio que o grupo de Arlindo Porto lançará nome novo para as próximas eleições.

Outro nome que também enfraqueceu junto ao governo do estado é o próprio Arlindo Porto, que ao perder na sua cidade natal, ao meu ver, cria um descrédito junto ao governador Aécio Neves, porque em política é importante ressaltar, o político vale os votos que têm.

Antônio do Valle que tinha planos de derrubar Elmiro nas eleições para deputado estadual de 2010, vê seus planos irem por água abaixo. Se ele que já tinha que enfrentar o problema da sua rejeição, agora sem o apoio da prefeitura amplia em muito suas dificuldades em se eleger deputado estadual.

Nome que sai extremamente fortalecido desta eleição é o do deputado estadual Elmiro Nascimento, que com a vitória em Patos de Minas unida a diversas outras vitórias de seus candidatos na região ampliam suas possibilidades de candidatura a deputado federal, além de ampliar sua ligação com o governador Aécio Neves, que vê nele garantia de votos para as próximas eleições.

Com a vitória de Béia e a ampliação dos horizontes do deputado Elmiro com uma possível candidatura a deputado federal, nome que poderá enfraquecer em Patos de Minas é o do deputado federal Paulo Piau, caso seja confirmada a candidatura de Elmiro a uma vaga da Câmara Federal.

Outra situação peculiar em Patos, pós-eleição é do PT, que a meu ver, não abrirá mão da candidatura de Bosquinho à prefeitura de Patos de Minas em 2012, com isso, acredito que o PT lançará Bosquinho a deputado estadual em 2010 como forma de consolidar seu nome. Diante disso, caso Elmiro insista em sair candidato a deputado estadual a parceria DEM-PT estará com os dias contados.

Béia Savassi e José Eustáquio saem fortalecidos com o resultado, entretanto a consolidação deste estará sujeita a uma boa administração.

Só para concluir é importante ressaltar que em política não existe nada pronto e acabado, portanto de hoje para amanhã tudo pode mudar, o que era forte se torna fraco e o que era fraco se torna forte.
.....................................................................................
Todas estas colocações são a minha visão sobre o contexto político de Patos de Minas, se você pensa diferente, deixe seu comentário, afinal é discutindo que crescemos.